Preciso modificar um commit passado, como faz?

Nas últimas duas semanas tenho tido um intensivão de aprendizado de git por causa da reformulação do site da Escola Mupi. O projeto usa como base uma plataforma que se chama Timtec, mas que ainda está sendo desenvolvida, logo muitos bugs, features faltando e muitos merge conflicts… Eu que ainda estou descobrindo as magias do git, tenho uma relacionamento de amor e ódio, pois já fiz muita besteira e perdi muitas horas de trabalho por não saber como ele funciona direito, assim como ele já me salvou muitas vezes <3

Esses dias, precisei adicionar alguns arquivos num commit antigo para manter minha árvore organizada e coerente. Para isso, @padovan me ensinou a resolver esse problema usando fixup + rebase interactive [que eu particularmente achei incrível]. Vamos lá:

Antes de iniciar, você precisa copiar um pedaço inicial do hash do commit que você deseja modificar. O hash é o código de identificação do commit, exemplo: 636bf2643e67bf34f67691333b916e292571a469. No caso os 6 primeiros caracteres já são suficientes. Você pode achar o hash com o comando git log.

Tendo isso copiado, deve-se fazer um “fake” commit. Ou seja, criamos um commit que servirá apenas como um repositório temporário das novas modificações que serão acrescentadas ao commit desejado. Para isso usamos o seguinte comando:

$ git commit --fixup=636bf26

Isso cria um commit com a mensagem “fixup! + msg do commit selecionado”. Isso ajuda a identificar que esse não é um commit convencional, mas que precisa ser “fixed up”. Feito isso, agora vem a magia: git rebase --interactive ou git rebase -i. O rebase interactive dá muito mais flexibilidade para modificar os commits. Para usá-lo precisamos indicar a quantidade de últimos commits a serem mostrados a partir do HEAD. No meu caso, os 4 últimos commits foram suficientes:

$ git rebase -i HEAD~4

que nos dá no editor padrão do terminal a quantidade indicada de commits em ordem do mais antigo ao mais novo, assim como todas as opções do rebase interactive. Nesse exemplo só vamos utilizar fixup (note que existem outras opções pra rebase interativo que podem ser muito úteis em outras situações):

Para a magia acontecer, é preciso escrever f no lugar de pick na frente do commit de fixup e modificar a ordem dos commits, colocando-o logo abaixo do commit desejado:

Agora é só salvar e voi lá! o “fake” commit é fundido no commit de cima =) é só dar um checada se deu tudo certo com git log.

UPDATE: Como pode se ver na primeira imagem, existem outras opções bem interessantes para se usar no rebase interativo, como o reword, que permite modificar apenas a mensagem de algum commit, e o squash que permite juntar dois ou mais commits em um só. Para quem lê em inglês, sugiro este artigo do github a respeito e dou um quote de alerta (tradução livre minha): “É considerada uma má prática dar rebase em commits que já foram submetidos ao repositório remoto. Ao fazer isso, você poderá invocar a ira dos deuses do git”.

obs.: Para modificar o último commit feito, git commit --amend é a melhor opção, já que “reabre” o último commit para edição.

  • obs 2. bastante tardio: como ao fazer isso a árvore do projeto é modificada, caso você já tenha dado push, ao modificar a árvore você só conseguirá subir com push forçado, no cado ‘push -f’. por isso é preciso muito cuidado ao usar esse comando nessa situação, para não prejudicar o[a] coleguinha! 🙂